Rua 24 norte, Ed. La Belle Maison Personalisee, Bl. B, Lojas 35/36, Águas Claras

Entre em contato: (61) 3011 2100 | 9 8151 9696

 

 

 

Queda de Cabelo em criança

Olá mãe! Está preocupada, pois reparou queda de cabelo na  sua criança ou de algum ente querido e está na dúvida se é algo transitório ou não?

Ainda não procurou um médico ou procurou e a resposta dele sobre a queda não foi satisfatória?

Se a resposta a qualquer das perguntas foi sim, então esse artigo é para você.

Ao contrário dos adultos, as crianças não costumam ser acometidas por calvície decorrente problemas genéticos. Então, o problema da queda de cabelos nelas estão ligados a outros fatores.

É importante você estar sempre atenta, pois esse problema afeta pode a saúde e a sociabilidade da criança.

Certamente, outras mães vão se beneficiar desse riquíssimo conteúdo. Então, compartilhe-o com o maior número possível de pessoas nas redes sociais.

Queda de cabelos: um ciclo natural em nossas vidas

Diariamente, perdemos de 50 a 80 fios de cabelos, que possuem uma vida média de 2 a 7 anos.

Os fios sofrem um processo de crescimento, repouso e queda.

O cabelo nasce no folículo piloso. O interessante é que cada folículo possui vida própria. Então, acompanhe o meu raciocínio: podemos deduzir que cada cabelo cresce de maneira diferente um do outro, então se o folículos estivessem em plena sintonia, todos os cabelos iriam crescer ao mesmo tempo.

Também, é logico deduzir que nessa suposição dos cabelos crescerem juntos haveriam períodos em que as pessoas ficariam totalmente calvas, até que a cabeleira fosse renovada.

No caso das crianças, até 100 fios por dia é uma quantidade aceitável.

A responsabilidade dos pais

Atenção Mãe ! A maneira como você penteia o cabelo da sua criança pode ocasionar a queda de cabelos.

Uma alimentação precária em nutrientes não vai fornecer à criança as vitaminas necessárias para ter cabelos saudáveis.

Fast-food para os pequenos nem pensar.

Fazer tranças apertadas, principalmente com os cabelos molhadas, é outra atitude a ser evitada.

Estresse da criança pode causar a queda de cabelo

A causa da queda pode ser o estresse, pois por mais que você pense que criança não sofre de estresse ou de ansiedade, isso não é verdade. E essa geralmente pode ser a razão pela qual está ocorrendo a queda de cabelo na sua criança.

Entretanto, há outros motivos que podem fazer com que o cabelo caia, e pensando nisso, vamos conversar um pouco sobre esses possíveis diagnósticos em relação a queda de cabelo frequente nas crianças.

A queda de cabelo nas diversas faixas etárias da criança

Durante o período em que o seu bebê esteve na sua barriga, vocês compartilharam muitas coisas além do imensurável amor um pelo outro.

Uma dessas coisas foram os hormônios. Ele recebeu de você enquanto era um feto altíssimos níveis de hormônios sexuais, que tão logo o bebê nasceu caíram ladeira abaixo.

Os recém-nascidos possuem uma grande concentração de hormônios, que receberam da mãe enquanto ainda eram fetos. Dessa forma, é normal que o bebê até os seis meses de vida sofra de  queda parcial ou total dos cabelos.

O fim da fase da amamentação e inicio do consumo de alimentos sólidos acarreta perda nutricional e um conseguente enfraquecimento dos cabelos.

Só come e dorme: ô vidão bom. O bebê, nos primeiros meses de vida, passa boa parte do tempo deitado. A constante fricção de sua cabeça com o travesseiro contribui para que ocorra a queda de cabelo.

Em criança de 7 anos as causas da queda são mais complexas como: questões psicológicas, estresse, infecção, questões nutricionais.

Tricotilomania

Tricotilomania nada mais é do que a perda de cabelo causado pela criança ao puxá-lo, torcê-lo ou esfregá-lo.

A perda do cabelo é causada por cabelos quebrados no decorrer do comprimento do cabelo. É possível notar manchas tipicamente vistas do lado da mão que a criança costuma mexer na cabeça.

Deficiência Nutricional da criança

Não tão comum, mas é possível, a queda de cabelo em criança pode acontecer por falta de nutrientes essenciais para ela. A falta de vitamina H ou biotina, que é uma das vitaminas do complexo B, é essencial para alimentar todo o corpo, inclusive o couro cabeludo.

Já o zinco, é um mineral essencial, e responsável pelo crescimento e desenvolvimento saudável do cabelo, durante a infância e adolescência.
Em alguns casos, a queda pode ser proveniente do excesso de vitamina A que a criança está ingerindo.

Para que não haja uma deficiência nutricional, é preciso que a criança tenha uma dieta rica em vários nutrientes e equilibrada, pois assim será mais difícil ter um problema de queda de cabelo. Mas é essencial que você procure o médico da criança, para ele saber exatamente a medida que deve ser tomada.

Alopecia Areata

Alopecia Areata é uma condição não contagiosa, caracterizada pela perda de cabelo.

Isso é devido ao sistema imunitário baixo que a criança pode ter. É normal notar um aparecimento de manchas redonda ou ovais de perda de cabelo.

Outro fator que você deve prestar atenção, além da queda de cabelo, é se a unha da criança está quebradiça.

Pacientes que já tiveram um quadro de alergia oferecem mais resistência ao tratamento.

Não há uma cura para essa doença, mas o tratamento correto ajudará a controlá-la, e em muitos casos as crianças tem de volta seus cabelos dentro de um ano.

Diferentemente da micose, que falaremos a seguir a pele fica lisinha, só que sem cabelo.

O tratamento é diferente da micose no couro cabeludo.

Micose no couro cabeludo da criança

Muitos confundem a alopecia areata com a micose. Não é comum em adultos, mas é frequente em crianças.

Na micose a área fica avermelhada descamativo quebrado. Ocorre um processo inflamatório no couro cabeludo. Ela costuma atingir áreas mais especificas.

Costuma chamar a atenção.raspa-se a pele e faz um exame.

Não se pode demorar para iniciar o tratamento, pois  pode haver uma perda permanente.

Para se realizar o exame, faz-se uma raspagem na pele infectada. O exame é feito no microscópio para identificar o fungo.

O tratamento com anti-fungo é realizado via oral.

Éfluvio telógeno

Geralmente é secundário a algum problema de saúde. É preciso tratar a causa principal, de base.

Nessa situação, os folículos interrompem o ser crescimento, entrando em fase de repouso.

É aí mãe ! Identificou qual caso se aplica à sua criança?

O profissional que deve ser procurado é um tricologista (especialista em cabelos) ou um dermatologista.

LEIA TAMBÉM